quarta-feira, 31 de julho de 2013

noite cerrada

Era noite cerrada e a Lua já se encontrava no meio do céu. Um manto negro cobria-me os ombros assim como aquela noite... E, mais uma vez, tal como aquela noite também a minha alma estava silenciosa, mas não serena. Um misto de sentimentos invadia-me o peito e eu ali, de pernas cruzadas no chão tépido, debatia-me acerca de que atitude deveria tomar...

A Lua iluminava-me o olhar e eu pedia-lhe entre sussurros que me ajudasse a decidir entre dizer-te ou não o que sentia, mas os seus sins e nãos eram demasiado inseguros para me dar certezas e todo aquele enigma que pairava em torno de si não me ajudava a decidir. O telemóvel olhava-me fixo assim como ela e começava a sentir que ambos me pressionavam a fazer algo, enquanto ia respondendo às tuas típicas brincadeiras comigo.
Decidi-me e disse-te. Desde os ciúmes à minha incerteza sobre o que sentia por ti e por ele. "Mensagem entregue". Chamaste-lhe confusão e relembraste-me da nossa amizade e da minha relação com ele, chamando amor ao que me unia a ele... E eu, acreditando em ti, tentei esquecer tudo aquilo como me dizias. Não tocamos mais no assunto e eu não me arrependi de te ter falado.
Mas tu enganavas-te. Amor não era o que eu sentia por ele mas sim o que tu despertavas aos poucos em mim e todo aquele sentimento de dúvida era só um começo.

4 comentários:

  1. uashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuashuash <3

    ResponderEliminar
  2. MUITO OBRIGADA, fico mesmo feliz por isso :D
    adorei, adorei!

    ResponderEliminar

deixa a tua opinião :))